A BONECA QUE COLECIONAVA PESSOAS

by 29.10.16 0 comentários


A boneca de porcelana
teve há muito tempo uma dona
que a ganhou de presente
em sua festa de doze anos.
A menina cresceu e se casou
e, com pesar,
num baú pôs-se a guardar
a boneca que abandonou.

Teve, mais tarde, uma filha
a quem, aos doze anos,
para fazer feliz a menina,
com a boneca a presenteou.
E foi assim que ela se tornou
uma herança de família,
passando por gerações,
sempre de mãe para filha.

Eis que agora essa relíquia
jaz na estante abandonada.

Fingimos possuí-la,
mas tão logo nos vamos
e ela, no entanto,
permanece
bela e perene,
a boneca por mim herdada.

Sentada à minha frente, mostra-me
como a vida é triste e solene
para quem a abandona
& aguarda, pacientemente,
que eu a presenteie
com uma nova dona.


© Girotto Brito

Dênis Girotto de Brito

Escritor

Poeta e contista, autor do livro "Os três lados da moeda: vida e morte em poesia" e colaborador em diversas antologias de contos.

0 comentários:

Postar um comentário

© 2014 O Poeta e a Madrugada Traduzido Por: Girotto Brito - Designed By Girotto Brito.