THOMAS E A RAZÃO

by 22.10.13 3 comentários
Quando se vive em um país onde uma única linha religiosa predomina, é difícil fazer uso da racionalidade. Somos criados para seguir uma determinada linha imaginária, outras são inaceitáveis, erradas e malignas. A própria razão passa a ser um 'pecado'.
— Você deve crer no Deus único e verdadeiro, o Deus que é Trindade: Pai, Filho e Espírito Santo! Crê nele e tudo de bom lhe será dado.
Thomas tinha sido criado no meio Cristão e já tinha seus 10 anos de idade quando ouviu esse conselho de sua mãe. Sua única reação, naquele momento, foi indagar:
— Mas mãe, se Deus é único, como ele pode ser uma trindade?
Sua mãe não gostou do questionamento, mas Thomas não tinha culpa e ela sabia disso, pois nem ela sabia explicar como Deus pode ser um e três ao mesmo tempo. Neste caso, seria monoteísmo ou politeísmo? Questionou a si mesma. Depois pediu perdão a Deus por ter questionado.
— Apenas creia, meu filho.
— Tudo bem.
Thomas preferiu não argumentar mais, apesar de sua cabecinha estar borbulhando de questionamentos. Sabia que estender a conversa seria inútil, já tentara fazer isso antes. Ele pensou então, em todos os povos do mundo, e todas as mães que ensinam a seus filhos suas respectivas crenças, todos os Deuses, todas as religiões e todos as broncas que os filhos recebem por questionar: Qual desses Deuses é o verdadeiro?
— Ou não há um verdadeiro?
— O que foi, Thomas?
— Nada não, mãe!
Thomas cresceu, se casou, e vai à missa todos os domingos. Sua mãe o educou assim e a sociedade o aceita assim. Mas todas as noites quando se deita ele questiona a tudo e a todos, e se sente feliz por saber que pensamentos não podem ser censurados.

Dênis Girotto de Brito

Escritor

Poeta e contista, autor do livro "Os três lados da moeda: vida e morte em poesia" e colaborador em diversas antologias de contos.

3 comentários:

  1. Sempre me perguntei sobre a trindade.
    E se há uma trindade, Deus não mandou seu único filho para a terra para morrer por nós...
    Ele se suicidou por nos, e nem foi "suicídio", já que ele é um ser celestial e não pode morrer, e seus milagres cabidos pelo espirito santo, também faria parte do joguete? Porque se jesus era Deus, e o Espirito Santo também, ele sempre esteve ali, não era milagre, ele sempre pode fazer aquilo.
    Porém, a bíblia, fala de Deus como Jeová, e na oração do Pai Nosso, descreve Jesus sentado a direita do Deus, ele esta lá, e não dentro de Deus como todos tentam acreditar. Mas se for falar isso pra alguém educadamente religiosa, ela te fuzila.

    ResponderExcluir
  2. As concepções religiosas são diversas. Essa ideia de trindade é de certa forma relativa, pois alguns setores do cristianismo não defendem o triângulo Deus Pai, Deus Filho e Deus Espírito.
    Para mim, a ideia mais aceitável é a de um único Deus.

    ResponderExcluir
  3. Reparei que a religião é um tema recorrente em seus textos, mesmo que citada de maneira sutil, é interessante.
    Um livro fictício que trata da Trindade de simples e profunda é "A Cabana", sempre recomendo àqueles que são céticos ou que não tem um entendimento correto. Vale a pena a leitura :)

    ResponderExcluir

© 2014 O Poeta e a Madrugada Traduzido Por: Girotto Brito - Designed By Girotto Brito.