MADRUGADA

by 13.6.14 10 comentários

Na escuridão
Vivo à beira do precipício
Sob o vício, pois senão,
De me lançar à queda

Na escuridão
Giro dentro de mim
Em hélices, sendo então,
Um turbilhão de nós

Na escuridão
Danço no ritmo da morte,
A sorte que faço, são,
Da ilusão de minha existência

Na escuridão
Só você ouve a canção
Nesse silêncio, caótico
O ócio desse coração

Na escuridão
Me faço
Me crio
Copio
De ti
A moldar em mim

Na escuridão
O sangue da minha carne poeta,
Discreta como sempre foi,
Ameaça em versos perversos
Sutis, confesso

Na escuridão
Esboço o esboço de mim
Para, enfim, 
Encontrar a ti
No berço dessa solidão.

Dênis Girotto de Brito

Escritor

Poeta e contista, autor do livro "Os três lados da moeda: vida e morte em poesia" e colaborador em diversas antologias de contos.

10 comentários:

  1. "Na escuridão
    Me faço
    Me crio"
    Hum. Por isso o nome O Poeta e a Madrugada? rsrs
    Ótimo poema.

    ResponderExcluir
  2. Acende uma vela guri rsss
    Brincadeira..
    Show de bola.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  3. Acho difícil por vezes comentar uma poesia, pois às vezes ela soa tão íntima que é mais gratificante apenas ler e saborear as palavras mentalmente. Gostei muito, um abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também acho Nanda. De qualquer modo é sempre bom deixar um comentário positivo, uma crítica ou até sugestões. Todo autor gosta dessa interação com os leitores. :)
      Obrigado pela participação.
      Abraços

      Excluir
  4. Primeiro eu preciso dizer que me orgulho de ter você como meu parceiro, é maravilhoso ver seu trabalho é tão bonito.
    Eu adorei de primeira a foto e depois do seu poema esplendido. Quero logo esse livro, preciso de uma dose exagerada dos seus textos.

    Beijos
    http://maetoescrevendo.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também tenho muito orgulho de ser seu parceiro minha amiga. Pode deixar que assim que eu publicar o livro meus parceiros serão os primeiros a receberem. ;-)
      Grade abraço.

      Excluir
  5. Bela poesia, querido. Um tanto melancólica, mas eu curto esse estilo :3

    Beijos
    http://escolhasliterarias.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado parceira. A poesia é assim mesmo, servem como um diagnóstico da alma do autor. Às são vezes românticas, outras vezes demonstram revolta e até mesmo melancolia. É puro sentimento em palavras. :)

      Obrigado pela visita e participação.
      Beijão.

      Excluir

© 2014 O Poeta e a Madrugada Traduzido Por: Girotto Brito - Designed By Girotto Brito.