DOM QUIXOTE

by 26.6.14 10 comentários

Caçoavam dele, pobre louco,
Cuja sanidade foi-se embora aos poucos
E os delírios, tão presentes,
Instigavam-no às aventuras
Decorrentes das estórias
Dos cavaleiros andantes,
Dos dias de glória
Que já houvera antes

Seu cavalo, Rocinante
Era pele e osso
Simplesmente
Cavalo dado não se olha os dentes
Pobre cavaleiro andante
E também seu ajudante

De que vale a realeza
E a fortuna inesgotável
Se não carrega consigo a nobreza
E o caráter admirável?
De que vale a fama 
E a vaidade
Se por quem te ama
Não dispõe sua lealdade?

Louco, era com certeza
E mais louco ainda 
Foi quem, com clareza,
Se desfez da beleza 
Das virtudes sóbrias
Do velho aventureiro
De tamanha nobreza

Pobre cavaleiro andante
Que fora bom
Apenas bom
Profundamente bom
Antes,
Durante
E depois da loucura.

Dênis Girotto de Brito

Escritor

Poeta e contista, autor do livro "Os três lados da moeda: vida e morte em poesia" e colaborador em diversas antologias de contos.

10 comentários:

  1. Lindo poema!
    Você escreve muito bem,amigo poeta!
    Poema bem estruturado e com foco nas Aventuras de Dom Quixote!
    Bravo!
    bjus
    Nunca pare de escrever,amigo!
    http://www.elianedelacerda.com

    ResponderExcluir
  2. Ai, que lindo poeta!
    Simplesmente amei... Você arrebenta garoto talentoso!!!

    ResponderExcluir
  3. Que maravilha ler um poema inspirado em uma obra que gosto tanto. Dom Quixote é genial, todos deveriam ler este livro.
    Bom fim de semana!!

    ResponderExcluir
  4. Sempre surpreendendo, parabéns garoto talentoso você é 1.000 .Beijos.

    ResponderExcluir
  5. Ótimo poema.
    Homenagem a uma grande obra. Inspirador.

    abraços
    www.aspiranteaescritor.com.br

    ResponderExcluir
  6. Melhores parágrafos são o terceiro e o quarto. A obra-prima de Miguel de Cervantes nos transmite muito bem os valores humanos como lealdade, honra, fidelidade, amizade e o amor. O pensamento filosófico que entra em cena para o trama da "loucura" do cavaleiro andante. E prefiro ser e gosto de ser louco como Dom Quixote. Afinal de contas, ser "normal" não me deixa feliz. Dom Quixote forever! Belo poema Denis!

    ResponderExcluir
  7. Um poema belíssimo para uma obra magnífica!
    Adorei!

    ResponderExcluir
  8. Não li a obra de Miguel Cervantes, mas gostei muito do seu poema, por si só. Parabéns Dênis!!

    http://omundoemcenas.blogspot.com.br/

    Abraço

    ResponderExcluir
  9. Vc captou bem a essência da estória e a poetisou maestralmente. :)

    ResponderExcluir

© 2014 O Poeta e a Madrugada Traduzido Por: Girotto Brito - Designed By Girotto Brito.