SETE PECADOS

by 27.3.15 7 comentários


Digo a ti estes versos, amor
Antes que me engula
Precisas tu da cura
Para o pecado da gula

E a ti, senador
Deixes de lado a avareza
Não vês que tua esperteza
Têm gerado a pobreza?

-“Inveja! Injúria!”
Disse-me o senador injuriado
Mas "sei bem que também
A luxúria é seu pecado"

Dito isto,
O homem ficou irado
E se não corro
Seria bofeteado

Pobre homem enganado
Percebo agora
Que a soberba
Também é seu pecado

Mas se tratando de pecado
Nem eu fujo da lista
Vou já deitar do seu lado, amor
E curtir contigo a preguiça.
© Girotto Brito

Dênis Girotto de Brito

Escritor

Poeta e contista, autor do livro "Os três lados da moeda: vida e morte em poesia" e colaborador em diversas antologias de contos.

7 comentários:

  1. Ah, que lindo que ficou, quem sabe assim as pessoas aprendam de forma divertida quais são os sete pecados capitais, eu também peco às vezes no mesmo quesito seu, uma gostosa preguiça de vez em quando é uma delícia!
    Abraços meu amigo já muito querido, Dênis!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A preguiça moderada nem deveria ser pecado, né Ivone? Rsrs Obrigado mais uma vez pela visita, minha amiga. Abraço de urso pra você! :)

      Excluir
  2. Arranjou perfeitamente as palavras, Girotto! O legal dos teus poemas é que são todos cheios do famoso jogo de palavras/ideias.
    O teu pecado, por fim, foi o menos pior de todos.

    Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Carol. Nem sempre a preguiça é o mais brando dos pecados. Se um médico, por exemplo, demora a atender um paciente por preguiça de trabalhar e este acaba morrendo, a preguiça passa a ser um grande pecado. rsrs

      Valeu pela visita. Grande abraço! :)

      Excluir
  3. Muito inventivo Girotto!! Me fez recordar do filme Seven. Tal como o serial killer, você construiu arte, baseando-se na desgraça humana, nos sete pecados capitais, embora a arte do serial killer seja bem mais dúbia haha

    Parabéns pelo poema engajado, sarcástico e muito bem construído.

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que analogia peculiar, Vitor. Rs
      Obrigado pela visita e pelo elogio.
      Grande abraço! :)

      Excluir
  4. Mano, sério que é você mesmo quem escreve esses poemas?
    Esse é simplesmente genial! Rs
    Achei um tanto hilário também.

    Parabéns.
    Ananda Maciel

    ResponderExcluir

© 2014 O Poeta e a Madrugada Traduzido Por: Girotto Brito - Designed By Girotto Brito.