CAMPO MINADO

by 2.4.15 2 comentários

Minha farda manchada
Não marcha sozinha
— desacompanhada —
Levo comigo a pólvora e o isqueiro
Acendo pavios em barris cheios
De gente dinamitada

Minha bota rasgada
Não recua um só passo
— não admito o fracasso —
Avanço sobre o território inimigo
Sobre minas, ignoro o perigo
De qualquer estilhaço

Minha arma carregada
Não disparará uma só bala
— minha munição é a fala —
E voltarei da guerra com a espada limpa
Sobre os restos mortais de quem grita
Em trajes de gala.

E se eu lançar minha granada
Não será por grana
Não será por nada
Nem será por fama
Que será lançada.

© Girotto Brito 

Dênis Girotto de Brito

Escritor

Poeta e contista, autor do livro "Os três lados da moeda: vida e morte em poesia" e colaborador em diversas antologias de contos.

2 comentários:

  1. Lindo demais!
    Dênis, amo seus poemas, sou sua fã e já falei isso!
    São poemas claros e reflexivos,
    mas nos levam ao fatos , com certeza!
    Uma Páscoa cheia de Amor com sua família,querido amigo!
    http://www.elianedelacerda.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Elyane!
      Também desejo a você e sua família uma Páscoa Feliz.
      Grande abraço!

      Excluir

© 2014 O Poeta e a Madrugada Traduzido Por: Girotto Brito - Designed By Girotto Brito.