NÊGA

by 2.4.14 9 comentários

Se escolhi por ti me encantar e cantar
Cada canto de encanto desses olhos teus
Foi por querer decifrar-te, nêga
E enxergar no vazio desse teu olhar
O que enxerga nos olhares meus

Se escolhi a ti me entregar e ensaiar

Cada passo do compasso dessa nossa canção
Foi por querer ouvir-te, nêga
E sentir a ternura desse teu cantar
Que de certo encanta esse duro coração

Se escolhi a ti me amarrar e ficar

Cada segundo nesse mundo meu e seu
Foi por querer amar-te, nêga
Amar a leveza desse teu falar
E a luxúria desse corpo teu.

Dênis Girotto de Brito

Escritor

Poeta e contista, autor do livro "Os três lados da moeda: vida e morte em poesia" e colaborador em diversas antologias de contos.

9 comentários:

  1. Ótima poesia.... Percebi a.sincronia entre as estrofes...
    Abraços
    www.aspiranteaescritor.com.br

    ResponderExcluir
  2. É praticamente uma declaração a todas as nêgas de nossas vidas. Muito bom!

    ResponderExcluir
  3. Nossa eu vivo dizendo que poema não é minha praia, mas toda vez que leio algo seu fico pensando se não tenho que rever meus conceitos . muito bom ! Adorei ...

    Beijos da Leeh

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Lêeh, quem sabe você não tenha uma poeta escondidinha aí dentro, esperando para ser libertada? rs

      Excluir
  4. Moço... Ficou bonito seu poema. Uma brincadeira com as palavras que soa gostosa quando a gente lê e do conteúdo, só consigo pensar que sua musa deve ser inspiradora! xoxo

    http://amornuvem.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Nanda e respondendo à sua pergunta: Minha nêga é sim muito inspiradora. :)

      Excluir
    2. kkkkkk Q bom! Os créditos então valem tanto ao poeta quando a sua musa!

      Excluir
  5. Muito bom o poema,gostei bastante..nos faz viajar

    ResponderExcluir

© 2014 O Poeta e a Madrugada Traduzido Por: Girotto Brito - Designed By Girotto Brito.