CHORA A ALMA

by 31.3.14 4 comentários

Chora a alma
Mas não chora lágrimas 
Não chora páginas 
Nem chora as lástimas vividas
Chora o que outrora cometeu
Que por anos se estendeu
Arrependimento cravado em feridas
Dessa alma que está aos prantos
Que perdeu o seu encanto
E lamenta tanto essa dor sofrida

Pobre alma

Cadê teu sorriso de menina,
de felina amorosa que eu sempre conheci?
Se perdeu na amargura desse amor
que tanto te machucou
e que nada fez por ti?

Chora alma,

Chora sem parar
Que uma hora vai passar
Essa dor que aí está.


_____________________________________
O que achou da poesia? Comenta aí, dê sua opinião! 

Dênis Girotto de Brito

Escritor

Poeta e contista, autor do livro "Os três lados da moeda: vida e morte em poesia" e colaborador em diversas antologias de contos.

4 comentários:

  1. Muito bom mesmo, apesar de melancólico. rsrs
    Você escreve muito bem, sempre leio seus contos.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  2. Fico refletindo em seus versos. Perfeita e a minha definição....

    Beijos da Leeh

    ResponderExcluir

© 2014 O Poeta e a Madrugada Traduzido Por: Girotto Brito - Designed By Girotto Brito.