TUA VI(N)DA

by 14.2.15 0 comentários

Tua figura
Toda nua
Se insinua 
Ao meu olhar
Como quem 
Quer disparar
A bala 
- letal -
Da sedução

Tua fúria
De luxúria
Se mistura
Ao meu rosnar
Como quem 
Quer rasgar
A carne
- sangrenta -
Da paixão

Teu orgasmo
Tão fantástico
Se faz mágico
Ao meu gozar
Como quem 
Quer repousar
Em meu peito
- ao som -
Do coração

Tua vinda
Toda vida
Tão querida
Ao meu pensar
Veio, enfim
Expulsar
As marcas
- profundas
Dessa solidão. 


Dênis Girotto de Brito

Escritor

Poeta e contista, autor do livro "Os três lados da moeda: vida e morte em poesia" e colaborador em diversas antologias de contos.

© 2014 O Poeta e a Madrugada Traduzido Por: Girotto Brito - Designed By Girotto Brito.