DOZE DE JUNHO

by 27.5.11 1 comentários

No dia do amor, aqui estou 
Contemplando minha própria solidão 
Perdido no mundo que fiz de mim mesmo
Sem ânimo ou mesmo convicção

Sei não.

No dia das flores, assim estou 
Sem rosas, sem palavras de amor
sem brigas, ofensa e rancor
Só eu, meu ego, minha dor

E que dor.

Neste dia, aqui estou
Unidade de um conjunto universo
Fração de um sistema complexo
Um número, apenas um número

Subtraído.

No dia da eterna confissão, aqui estou
Confessando o que não aconteceu
o que se perdeu
e que esvaneceu em mim

E em você.

{Girotto Brito}
Bragança, Pará, 12 de junho de 2010.

Dênis Girotto de Brito

Escritor

Poeta e contista, autor do livro "Os três lados da moeda: vida e morte em poesia" e colaborador em diversas antologias de contos.

Um comentário:

  1. Tenho até medo de comentar alguma coisa estranha aqui dado que esse é um blog de uma pessoa que entende de palavras bonitas
    mas o sentimento de deslocamento no dia dos namorados só se dá quando não estamos participando, é fato.

    ResponderExcluir

© 2014 O Poeta e a Madrugada Traduzido Por: Girotto Brito - Designed By Girotto Brito.