O CAMALEÃO E A FLOR

by 27.3.14 3 comentários


O Camaleão e a Flor se conheceram num sonho, não um sonho qualquer, mas um sonho em comum. Quando dormiam, se encontravam e conversavam por horas sem fim naquele mundo só deles. Se tornaram amigos, amantes e confidentes, mas nunca se viram quando acordados. Numa certa noite, no mundo real, ambos foram ao mesmo evento, o réveillon da floresta. O camaleão com seus amigos répteis e a flor com seus amigos cravo, rosa, e outros que o camaleão não conhecia. Nessa festa, por um instante, a flor viu o camaleão, meio camuflado entre os outros, mas o reconheceu. Teve vontade de ir lá falar com ele mas, por algum motivo  timidez, insegurança, ou até mesmo por não ter certeza se era realmente ele  não o fez. Depois, em outro sonho ela lhe disse: Eu vi você! O camaleão então ficou confuso, pois, se a flor o tinha visto e não tinha lhe cumprimentado era porque preferia não conhecê-lo pessoalmente. 

Então, num outro dia, numa comemoração de um réptil amigo, o camaleão reconhece a Flor, propriamente pelo aroma e beleza característico das mais belas flores, e ele, como todo camaleão, ficou inerte, esperando o momento certo de lhe falar um "Oi Flor, lembra de mim?", mas naquele momento entendeu por que ela não tinha falado com ele no réveillon, não era por não querer conhecê-lo, nem por timidez, mas sim, por um estranho medo. Medo de não ser correspondido, ou de depois daquele momento os sonhos não acontecerem mais. 

Por fim, ambos se olharam, mas não se falaram. O Camaleão voltou para o seu cafofo e a Flor para o seu jardim, e continuaram a se encontrar em seus mágicos sonhos comuns.

Escrito no dia 29/01/2011.
_________________________________________________________
Comente o que achou dessa fábula. 
Sua opinião é muito importante para mim. 

Dênis Girotto de Brito

Escritor

Poeta e contista, autor do livro "Os três lados da moeda: vida e morte em poesia" e colaborador em diversas antologias de contos.

3 comentários:

  1. A proteção de não nos mostrarmos como realmente somos, fazemos tanto isso. Camaleões e flores morando no conforto de nossos sonhos. Um abraço Dênis .

    ResponderExcluir
  2. Pois é, o medo de não ser correspondido acaba deixando de lado o que poderia vim a ser uma amizade.
    Até mais. http://realidadecaotica.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Os seus textos são altamente autenticos. Eu os adoro, você acabou de tratar algo muito comum de uma forma totalmente criativa. Você conseguiu pegar um assunto e transformar em uma fantásia tratando de uma forma totalmente natural. É como você ver alguém, uma divinamente flor, olha -lá, se apaixonar como nos seus melhores sonhos, mas não ter coragem de falar com ela. Realmente incrível! Parabéns.

    caminhandoemmarte.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

© 2014 O Poeta e a Madrugada Traduzido Por: Girotto Brito - Designed By Girotto Brito.