AMOR INQUIETO

by 6.3.14 3 comentários

Sobre o teu encanto, canto
Mas não me espanto com teu gosto amargo
Visto-me com o santo manto
Que me esconde tanto dessa dor que alastro

E se de ti me afasto, passo
Que a faço crer que meu amor não tem
Joga então teu laço, eu peço
Mas não confesso, que sofro bem

E quando soluçar, devagar
Não quero estar longe, nem perto
De certo que quero estar a cantar
Para enfim acalmar esse amor tão inquieto.

Dênis Girotto de Brito

Escritor

Poeta e contista, autor do livro "Os três lados da moeda: vida e morte em poesia" e colaborador em diversas antologias de contos.

3 comentários:

© 2014 O Poeta e a Madrugada Traduzido Por: Girotto Brito - Designed By Girotto Brito.