AQUELA CASA DE PRAIA

by 23.5.14 5 comentários



  Não há beleza tão igual quanto a beleza do litoral
   As ondas moldando a areia, 
   As nuvens bailando no vento, 
   Uma paisagem fenomenal, confesso
   E peço para que não fales mal do meu litoral,
   Pois como ele não há igual!

   Sonho em comprar aquela casa de praia
   Viver de escrever meus livros
   Inventar estórias de toda laia
   Estórias de amor e de maracutaia
   Não importa
   Desde que seja na praia

   Deixar de contar os dias, de contar as horas
   No litoral isso não tem cabimento
   Tempo lá é clima, e não demora
   Que aquelas chuvas de outrora
   Cheguem trazidas no vento
   Todo tempo é tempo

   Poder balançar numa rede
   Sem pressa para levantar
   Da água do coco matar minha sede
   No calor, correr para o mar
   É essencial!
   E novamente te peço:
   Não fales mal do meu litoral
   Pois como ele não há igual!


Dênis Girotto de Brito

Escritor

Poeta e contista, autor do livro "Os três lados da moeda: vida e morte em poesia" e colaborador em diversas antologias de contos.

5 comentários:

  1. Que delícia de poema...
    Parabéns querido!!!

    ResponderExcluir
  2. Ooooohhhh, vida boa!
    É tudo que eu sonho, morar na praia.
    Belo poema!

    ResponderExcluir
  3. Eu sou suspeito para falar de praia.
    Para mim, praia vem na frente dei tudo.
    Pode ser lindo, feio, quente ou glacial, mas não fale mal do meu litoral.

    Histórias, estórias e outras polêmicas

    ResponderExcluir

© 2014 O Poeta e a Madrugada Traduzido Por: Girotto Brito - Designed By Girotto Brito.